Menos HIV

Cai o número de pessoas soro-positivas em Picos

15 de janeiro de 2019

Da redação

 

O aumento do número de casos de doenças sexualmente transmissíveis são uma preocupação constante para governantes de todo o mundo. O combate e a prevenção se tornaram ferramentas num campo de batalha muitas vezes desigual posto que em algumas Democracias as políticas públicas oferecidas pelos gestores não estão a altura.

A difusão de informações sobre os casos de Aids e outras enfermidades transmissíveis pelo ato sexual ganharam as telas nas últimas décadas, auxiliadas pelos informativos impressos e eletrônicos, os quais dão conta de que a batalha do homem contra as enfermidades dele mesmo, necessitam de um olhar acurado quando da efetivação de práticas que venham combater tais doenças.

O Brasil, nesse cenário, se apresenta como um dos baluartes na luta contra o avanço de doenças sexualmente transmissíveis e outras como a Hepatite B e C. Dados mostram que nessa seara, o país avançou satisfatoriamente devido, sobretudo, ao trabalho de formiguinhas (médicos, enfermeiros, técnicos, assistentes sociais, etc.), junto ao público, além de campanhas explicativas ao longa dos anos. São inciativas que se refletem lentamente na ponta, ou seja, junto ao público envolvido, onde o mesmo recebe melhor tratamento e pode conviver com a doença com maior qualidade de vida.

Segundo aponta o Boletim Epidemiológico de 2018, até o ano de 2012 a taxa de detecção de aids no Brasil era de 21,7 casos a cada 100 mil habitantes. Subindo aí a ladeira do tempo, já para o ano de 2017, esse número declinou e ficou em 18,3. Para aqueles que não suportaram a força da doença, as mortes chegaram a um percentual de queda de 16,5%. Isso mesmo, teve uma queda 16,5% nas mortes entre os anos de 2014 e 2017.

Os dados aparecem sobretudo por conta do agrupamento da medicação em combate ao HIV, após a descoberta dos antirretrovirais nos idos de 1995. E diga-se de passagem, o nosso Brasil foi uma das primeiras nações a realizarem tal procedimento. Diga-se também que o Brasil chega hoje aos quase maduros 30 anos de batalha contra o temido HIV. A data é o primeiro de dezembro, onde o país é uma referência mundial no tratamento da doença.

Os casos de HIV, Sífilis e Hepatites B C

Nos reportando à nossa ‘Cidade Modelo’, o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) acaba de anunciar o declino do número de casos de Aids no município picoense. Dados da coordenadora do referido órgão, revelam que ouve pequena queda de soro-positivos em Picos entre os anos de 2017 e 2018.

“Em 2017 foram detectados 14 casos de HIV. Em 2018 ocorreram apenas 12”, revela Isabel Fontes, coordenadora do CTA.

 

 

Fachada do CTA

 

 

Coleta de sangue

 

 

Coleta de sangue

 

Já os casos de Hepatite B e C, ouve pequeno aumento do número de casos locais. Em 2017 foram detectados 2 casos de hepatite B e 3 casos em 2018, demonstrando pequeno aumento no surgimento da doença na cidade picoense.

Em relação aos casos de hepatite C, também ouve aumento pois foi detectado apenas 1 caso em 2017 enquanto que em 2018 surgiram 3 novos casos da doença.

 

 

Laboratório do CTA

 

“Quanto ao número de casos de sífilis, tivemos aí em 2017, 126 casos e em 2018 detectamos pelo menos 115 novos casos dessa doença”, revela Isabel Fontes, desmontando pequena queda em relação à doença.

A parceria com a prefeitura de Picos

Verônica Feitosa é técnica de enfermagem a 16 anos no CTA e conta que a nova gestão do secretario Júnior Santos, tem dado suporte humano e estrutural quando da efetivação de seu ofício diário.

 

 

Verônica Feitosa é técnica de enfermagem a 16 anos no CTA

 

“Mudou tudo, é um novo ambiente. Estamos com salários em dia e temos insumos para realizarmos nosso trabalho de cada dia”, comenta.

A psicóloga Giorgina Soares segue o mesmo raciocínio da sua colega, pois segundo ela, a administração do prefeito Pe. Walmir Lima em conjunto com o secretário Júnior Santos, tem uma política voltada para o engajamento com a sociedade, com a qualidade da oferta dos serviços de saúde junto ao público local.

 

Psicóloga Giorgina Soares

 

“O fato de termos profissionais dedicados, estrutura física adequada, de alguma forma vem mudando a cara do CTA. Esse ajuntado de fatores vem refletir diretamente no atendimento junto às pessoas que nos procuram”, avalia a psicóloga.

O CTA

O Centro de Testagem a Aconselhamento de Picos é provido de equipe multidisciplinar onde o paciente recebe atenção específica, ou seja, atenção voltada para cada caso. São profissionais que vão desde médicos, biomédicos, enfermeiros, farmacêuticos, técnicos de enfermagem e outros.

 

 

Sala de atendimento

 

 

Farmacêuticos selecionam medicamentos

 

 

Farmacêuticos selecionam medicamentos

 

O CTA disponibiliza uma gama de serviços ao público em que são realizados exames que possibilitam identificar doenças como a Aids, Sífilis, assim como Hepatites B e C. Também são realizadas palestras as quais buscam orientar à população e os pacientes sobre as formas e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. O tempo médio de coleta e entrega de exames feitos pelo referido centro é de pelo menos 5 cinco dias após a coleta, prazo que supera as práticas da antiga gestão, segundo informa o coordenadora.

“Tudo isso é feito de uma forma muito sigilosa, respeitando os parâmetros éticos em que o paciente está inserido. Tudo com muita ética e respeito pela vontade do paciente”, destaca a coordenadora Isabel Fontes.

 

Coordenadora Isabel Fontes

 

O CTA também promove eventos ‘extra-muros’, como é o caso do projeto ‘Saúde nos Bairros’, no qual equipes se deslocam à lugares específicos para realização de práticas relacionadas à saúde: são palestras, orientações básicas de saúde, coleta de exames, doação de preservativos, distribuição de panfletos explicativos, além de serviços odontológicos e ações voltadas para a saúde da mulher. O evento é realizado a cada mês em um bairro escolhido.

 

Farmácia abastecida

 

“Agente alerta à população para estes dados, pois é por meio da prevenção que se evitam muitas mortes. Orientamos que as pessoas busquem o posto de saúde para saber como anda sua saúde. Também solicitamos às manicures que usem material descartável e as profissionais do sexo que usem camisinha”, completa.

 

Famácia abastecida

O Centro de Testagem e Aconselhamento também realiza eventos de orientação em escolas e empresas, tudo com o objetivo de levar informações de saúde ao público. O referido centro também trabalha diretamente com pessoas privadas de liberdade, isto é, condenados pela Justiça cumprindo pena em presídios da cidade, a exemplo do presídio feminino e masculino.

 

Equipe multidisciplinar

 

E não para por aí. O CTA ainda atende a macroregião de Picos, além de receber pessoas advindas de outros Estados, como é o caso do Estado do Ceará e Maranhão. A média diária de atendimento do referido centro, segundo explica a coordenadora, chega a uma média de 30 pessoas, perfazendo um total de 600 pessoas por mês.

Cumpre lembrar que todos os serviços de saúde oferecidos pela Secretária Municipal de Saúde são respaldados pelo CTA, com a ressalva de que tudo é gratuito, rápido e seguro. O referido centro está localizado à Rua Cel. Francisco Santos, 82, em frente ao Armazém Paraíba e funciona de segunda a sexta em horário comercial.

Fonte: CCOM



piaui Banner Marcelino