Fiscalização

Secretaria deflagra operação contra uso indevido de água em Picos

08 de outubro de 2019

Da redação

 

O secretário de Agricultura de Picos, Aurino Guimarães, alerta os moradores da zona rural sobre os crimes ambientais que estão ocorrendo no município.

De acordo o gestor, as equipes de abastecimento estão realizando intenso serviço de fiscalização e cortes do uso indevido da água por essas comunidades.

São locais em que os usuários utilizam a água, que é de graça, para aguar plantações, encher criatório de peixe, piscinas e até para o uso comercial, como lava jato, em alguns casos já identificados.

 

Fiscal encontra gato de água

A demanda financeira do município para garantir água potável às comunidades rurais chega ao montante de R$ 120 mil mensais com energia elétrica, sem falar na manutenção dos poços. Para conter os gastos, medidas estão sendo tomadas como a instalação de hidrômetros, por exemplo.

 

Fiscais encontram gatos em plantação

 

O secretário Aurino Guimarães cita como exemplo de contenção de gastos com o uso irregular de água, a localidade Torrões. De acordo com ele, o local era um dos lugares mais críticos quanto ao uso de água que não seja para consumo humano.

 

 

Criador de peixe com água irregular

Revela ainda que as casas com uso irregular tiveram fornecimento interrompido pelas equipes de abastecimento, sendo que no dia seguinte tudo foi religado pelos próprios moradores, forçando a instalação de hidrômetros.

“Segundo informações do vereador Renato, antes no local ( Torrões), o consumo de água era em torno de 170 litros por dia. Após a instalação de hidrômetros nas casas, tal consumo caiu para 17 mil litros e não falta água nas residências”, exemplifica Aurino Guimarães.

A água potável fornecida pelo município picoense para as comunidade rurais é apenas para o uso humano, ou seja, para que os usuários abasteçam suas necessidade básicas e também para a sedentação de animais, onde se pode dar de beber aos animais sem escala comercial.

No campo, quando as equipes de abastecimento encontram casas com ‘gatos’, é feito o corte do fornecimento da água. Se houver reincidência as equipes do meio ambiente entram com notificação e possíveis multas, já que o uso indevido da água está previsto em Lei como crime ambiental.

O procedimento inicial é uma advertência. No caso de religação irregular, a equipe aplica multa e até outros procedimentos mais agudos.

As iniciativas para combater o crime ambiental por desvio da finalidade da água potável do município de Picos seria a criação de uma Lei Municipal específica para esse fim.

 

 



Banner Marcelino piaui