Água contaminada

Coquetel’ com 27 agrotóxicos é apenas ‘amostra grátis’ de contaminação das águas

25 de abril de 2019

Da redação 

 

A água consumida pelos brasileiros pode estar contaminada por muito mais que 27 pesticidas identificados pelo Ministério da Saúde. O alerta é da pesquisadora do departamento de Geografia da Universidade de São Paulo (USP) Larissa Mies Bombardi, autora do Atlas Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia, em entrevista à jornalista Marilu Cabañas, na Rádio Brasil Atual.

 

Foto – Reprodução

 

Dados compilados e divulgados nesta semana pela ONG Repórter Brasil, Agência Pública e a organização suíça Public Eye, com base em amostras das empresas de abastecimento de 1.396 municípios, indicam que a água de uma a cada quatro cidades está contamina por agrotóxicos. Mas, como adverte Larissa, os 27 pesticidas foram encontrados apenas porque seu uso está condicionado por lei a testes obrigatórios, desconsiderando, no entanto, a avaliação de outros tipos de agrotóxicos que têm utilização permitida no país, um número que chega a ser superior a 500. “Há outros 400 e tantos agrotóxicos que sequer são investigados. É algo mais grave do que a gente está vendo”, avalia a pesquisadora.

Entre as centenas de substâncias que são deixadas de lado pela legislação está o Acefato, um tipo de inseticida, proibido na União Europeia, mas que figura entre os 10 mais vendidos no Brasil, de acordo com Larissa. “Ele pode estar presente (na água) e estar tudo certo, porque a legislação não faz menção a essa substância”, descreve.

Só entre os 27 agrotóxicos identificados, 16 são considerados altamente tóxicos e 11 estão diretamente associados ao desenvolvimento de doenças crônicas e disfunções hormonais e reprodutivas, ressaltando o potencial ofensivo à saúde e ao meio ambiente desse tipo de substância. “Isso, digamos, que é uma amostra grátis da realidade que envolve a contaminação de água no Brasil”, destaca a pesquisadora.

Fonte: Rede Brasil Atual



Banner Marcelino piaui