Inovação

Sistema permite criar peixe, camarão e cultivar hidropônica economizando água

25 de outubro de 2018

Estudantes e professores do Curso de Engenharia de Pesca, do Campus Ministro Reis Velloso, da UFPI em Parnaíba, aperfeiçoam estudos do experimento “Tecnologias de produção de peixes e camarão em sistema de recirculação de água”, que permite criar na mesma estrutura peixes, crustáceos e ainda cultivar hidropônicas. O sistema é alimentado por energia solar. Desenvolvido há cerca de 1 ano, o projeto está inserido no contexto da agricultura familiar como política que pode ser adotada para fortalecer a soberania alimentar e nutricional de famílias do Nordeste. As pesquisas são realizadas na Estação de Piscicultura da UFPI.

 

Alunos aperfeiçoam estudos do experimento. Foto – Reprodução – UFPI

 

O sistema contém quatro placas de energia solar que abastecem uma bateria e faz a agua circular em dezesseis tanques. Na estrutura, são criadas as espécies de peixes Tambaqui e Tilápia, além do camarão Vannamei. No prazo de cem dias, os peixes e camarões estão prontos para consumo.

 

O sistema contém quatro placas de energia solar que abastecem uma bateria e faz a água circular em dezesseis tanques. Foto – Reprodução – UFPI

 

“O sistema conta com filtros para água mecânicos, biológicos e químicos, que permitem utilizar a mesma água até quatro vezes no sistema. E o resíduo da limpeza desses filtros serve para adubação de plantas, tanto para hidropônicas quanto para canteiros. Todo o sistema está funcionado, tanto oxigenação quanto aeração, por placas solares. É totalmente sustentável! E viável do ponto de vista econômico-financeiro, adequado à pequena produção, e também pode ser usado em regiões semiáridas e que não possuem energia convencional”, avalia o Prof. Dr. Josenildo de Souza, coordenador do projeto.

 

Projeto pensado para atender a produção em pequena escala. Foto – Reprodução – UFPI

 

Com o projeto, pensado para atender a produção em pequena escala, a expectativa é cultivar em torno de 80 quilos de peixe e 20 quilos de camarão por metro cúbico de água por ano.O objetivo final é fazer essa tecnologia chegar às famílias que trabalham com cultivo de pescado e crustáceo. Todo o sistema, incluindo tanques, placas de energia solar, filtros e bomba deve custar cerca de R$ 3.500. O Banco do Nordeste, que financia a pesquisa, pretende criar uma linha de crédito específica para que pequenos produtores invistam na tecnologia para ampliar a renda. O projeto conta com apoio do Programa Institucional de Bolsas de Extensão ( Pibex) e da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura ( PREXT).

A pesquisa já gerou 3 patentes e há mais 2 tecnologias em processo de depósito.

 

Fonte: Com informações de UFPI



piaui Banner Marcelino