Cultura

Museu Ozildo Albano promove exposição fotográfica sobre as modificações históricas da Praça Félix Pacheco

21 de novembro de 2019

Em comemoração pelo Dia Municipal da Cultura, celebrado em 20 de novembro, data do nascimento de Ozilbo Albano, o museu está promovendo uma exposição fotográfica intitulada: “Félix Pacheco: a decadência de uma praça”. Esse tema foi título de uma matéria do Jornal de Picos no ano de 1985, pois já naquela época discutia-se as constantes modificações pelas quais passou e continua passando o principal espaço de sociabilidade de Picos.

Reprodução- Folhaatual.com.br

Segundo o presidente da Academia de Letras da Região de Picos (ALERP) e colaborador do Museu Ozildo Albano, Vilebaldo Rocha, a exposição faz um apanhado histórico da Praça Félix Pacheco, desde a inauguração, em 1942, até o momento atual em que ela passa por mais uma reforma.

“A cada gestor que vai sucedendo, vai fazendo modificações, então é o momento para a sociedade picoense refletir sobre as mudanças feitas na cidade, não apenas na Félix Pacheco”, comentou.

As dezenas de fotografia mostram épocas em que as pessoas se encontravam na praça, o seu famoso coreto, e as modificações subsequentes. Uma mudança bem significativa aconteceu quando o ex-prefeito Oscar Eulálio (1967-1970) substituiu o coreto por um ponto de encontros, onde havia bares, sorveterias, dentre outros estabelecimentos. Mas isso durou pouco. No mandato do ex-prefeito José Nunes (1973-1976), este derrubou o pequeno prédio e construiu uma fonte luminosa, além de ter arrancado quase todas as árvores do logradouro.

Vilebaldo informou que a organização do museu tentou encontrar fotografias da época em que Gil Paraibano era o prefeito de Picos (2005-2011), pois naquele momento havia o presépio de Natal, com os camelos, fixados o ano inteiro na praça. Além das fotos mais antigas, há fotos recentes, de antes do início da reforma promovida pela atual gestão, bem como uma imagem do projeto de como deve ficar a Félix Pacheco após a sua inauguração. A exposição permanece deve se estender até janeiro de 2020.

Vilebaldo Rocha – Reprodução- Folhaatual.com.br

Depoimento

Acompanhando a exposição, o bancário aposentado José Ives, 68 anos, informou que presenciou muitas dessas modificações sofridas pela praça. Ele relembra saudoso que as pessoas se encontravam na Félix Pacheco durante todos os dias da semana.  “Lá transitavam todos, e a sociedade era muito unida, tinha casais idosos, novos, e com o Cine Spark ao lado, era uma verdadeira festança; pois era ótimo para conhecer as pessoas, conversar”, comentou.

José Ives – Reprodução- Folhaatual.com.br

Quem foi Félix Pacheco?

Na exposição também há uma biografia resumida do homem que dá nome à praça, Félix Pacheco. Jornalista, político e poeta, ele nasceu em Teresina, em 02 de agosto de 1879 e faleceu no Rio de Janeiro, em 06 de dezembro 1935. Foi deputado e senador pelo Piauí e ocupou o ministério das Relações Exteriores durante o governo de Artur Bernardes (1922-1926).

veja a seguir, imagens da exposição.

Reprodução- Folhaatual.com.br
Reprodução- Folhaatual.com.br

Do Folhaatual.com.br



piaui Banner Marcelino