Milícias

Secretário confirma investigações sobre milícias e facções no Piauí

30 de agosto de 2019

Da redação

 

] secretário de segurança do Piauí, Fábio Abreu, confirmou nesta sexta-feira (30) que há investigações no Piauí relacionadas a facções criminosas e milícias.

 

Reprodução

 

Ontem, a TV Cidade Verde mostrou que, segundo denúncias, comerciantes do bairro Santa Maria da Codipi que se negam a pagar um grupo de segurançasestariam sendo vítimas de arrombamentos ou assaltos. Dois vigilantes noturnos foram presos nesta quinta-feira.

“Temos buscado na nossa gestão nos antecipar a fatos. A nossa inteligência tem sido muito eficiente quanto a isso. Nós estamos trabalhando com relação a essa questão: há uma diferença entre a milícia e facção. São duas coisas que se confundem e vamos mostrar alguns resultados a respeito destes dois temas”, afirmou Fábio Abreu.

Major César como presídio

Fábio Abreu também defendeu na entrevista que a Colônia Agrícola Major César vire um presídio comum, com segurança reforçada. Na manhã desta sexta-feira, uma operação realizada no local flagrou 180 celulares, 300 gramas de maconha, 80 gramas de cocaína, além de armas brancas e bebida alcoólica. Dez internos foram levados à Central de Flagrantes.

“O problema da Major César eu tenho acompanhando desde o início da gestão. Por incrível que pareça nas reuniões que tive com a comunidade da região, os roubos e furtos eram de pessoas da Major César, de pessoas que deveriam estar presas e estavam fazendo assaltos na região. A partir dali eu passei a buscar junto ao então secretário Daniel para que seja reforçado. Criou-se uma ideia que a Major César tem que ter uma segurança fragilizada pelos presos que estão lá cumprindo o sistema semiaberto ou aberto, mas na minha opinião nós temos que reforçar isso. Eu acho que já está sendo feito pelo próprio secretário Carlos Edilson, com os recursos do Fundo Penitenciário, de transformar a Major César realmente num presídio”, afirmou.

Com informações de Cidadeverde.com



piaui Banner Marcelino